Fabricio.adm.br Apresentação pessoal e currículo Artigos, poemas, textos diversos de minha autoria Fotos de alunos, ex-alunos e pessoais Apostilas, exercícios, trabalhos e demais materiais para uso em sala de aula Livros, filmes, acessórios e produtos tecnológicos para Administradores Vídeo aulas, podcast, dinâmicas gravadas, etc. Cursos rápidos e gratuitos para desenvolvimento de habilidades gerenciais Cadastro para alunos, com o objetivo de informá-los sobre a disponibilização de material didático a ser trabalhado em sala Página inicial

Nada se cria,
Nada se Forma...

Siga-me
Blog
Blog
Twitter
Twitter
Orkut
Orkut
YouTube
YouTube
Compartilhe
Compartilhe

Não criamos nada do nada. Pegamos uma coisa aqui outra ali e temos algo - relativamente - novo.

É assim na ciência, na filosofia, na arte e em todas as áreas do conhecimento.

Na ciência, a cibernética surgiu justamente com esta finalidade: relacionar as várias áreas do conhecimento bem como buscar sua sinergia.

Na filosofia, e no próprio pensamento, um novo conhecimento é construído fundamentando-se em outros conhecimentos.

Na natureza, uma gota d'água que cai ao solo pode alimentar uma planta, que poderá frutificar servindo de alimento para uma ave, que poderá servir de alimento para um outro animal, que morrerá um dia e adubará a terra eternizando o ciclo de transformação da matéria e da energia.

Na personalidade humana, somos tão influenciados pelas experiências sociais que alguns autores defendem que o homem é fruto do meio social em que vive.

Nós também criamos coisas novas o tempo todo a partir dos aprendizados conquistados no ambiente. Quando bem feito, esta capacidade produz resultados criativos e inusitados. Uma das formas de se criar algo novo, é através da nossa capacidade de relacionar as coisas, o que podemos definir como visão sistêmica. A visão sistêmica é uma habilidade através da qual conseguimos ver o todo e as relações entre as várias partes ampliando nossa percepção e visão de mundo.

Conceito baseado na foto de Orlando BloomPara demonstrar o que digo, gosto de falar dessa nova versão de meu site, que teve como inspiração diversas fontes.

A foto da página principal foi inspirada em um ensaio fotogáfico do ator inglês Orlando Bloom (do filme "Piratas do Caribe", "O Senhor dos Anéis" e "Tróia"). Já o layout em geral, foi baseado no site de Madonna, que apresenta um visual limpo e moderno. Do mesmo modo, cada detalhe do site teve inspiração em algo guardado em minha memória.

Li em uma entrevista com Fernanda Montenegro um pensamento interessante. É sobre teatro, mas pode ser aplicado a todas as áreas de nossa vida: "A caminhada dos atores ao longo dos séculos é subterrânea, nos perpetuamos por meio do nosso ofício: um ator que viu um ator, que trabalhou com outro, que foi discípulo de um terceiro repetindo o mesmo fenômeno em direção ao futuro. Sei que em mim estão entonações, gestual e sentimentos de muitos e muitos atores e atrizes que eu vi, populares ou clássicos, brasileiros ou estrangeiros, que por sua vez viram outros atores e atrizes de épocas anteriores, que por sua vez foram influenciados por colegas de outro século ou séculos. Assim como no ano 2083 alguma atriz estará revivendo algum pulsar meu ou de outra atriz contemporânea. É essa transferência que nos alimenta e dignifica. É uma espécie de genética teatral."

Conceito baseado na estrutura do site Madonna.com

Do mesmo modo que a genética teatral, tudo o que somos é fruto do ambiente: de nossa herança genética à forma que nos relacionamos uns com os outros.

Isso me faz crer que estamos todos interligados uns aos outros e também a algo maior, que estabelece uma certa ordem, ainda que nem sempre fácil de compreender.

Que nome podemos dar a isto?

(Escrito em 27/08/2009)

Envie este texto por e-mail

 

HOME | QUEM SOU | TEXTOS | FOTOS | SALA DE AULA VIRTUAL | LOJA VIRTUAL | MULTIMÍDIA | WORKSHOPS | CADASTRO | INDIQUE ESTE SITE | ADICIONE AOS FAVORITOS | FALE COMIGO | MAPA DO SITE

©2009 Fabricio Moraes Cunha. Todos os direitos reservados.
A reprodução parcial é permitida, desde que citada a fonte.

 

Voltar para a página anterior Ir para o topo da página